jan 29 2014

Bolinho de Chuva: como incrementar a receita?!

Categoria: Delicias, Palpites | 29.janeiro.2014 | 5 Comentários

Ahhh o Verão…praia, sol, calor, dias longos…ai de repente…chuvaaaaa!!! Pelo menos aqui em Mato Grosso do Sul, São Pedro tem sido bastante generoso nos últimos dias. Quem mora em Campo Grande já está acostumado com a famosa “chuva de manga” que, nesta época do ano, cai praticamente todas as tardes! E quando chove…vixi, não tem jeito…bate aqueeela vontade imensa de não fazer nada, só se esticar na cama (ou no sofá!) e comer, comer, comer…kkkkkkk!!! Somos só um pouquinho gulosas, tah? rs. Agora imaginem ter sempre em mãos uma receitinha simples, fácil de fazer, deliciosa e que pode ser incrementada de várias maneiras? Não é atoa que o BOLINHO DE CHUVA é o mais pedido nos dias chuvosos!!! 

Um bolinho que tem história…

Mas afinal, vocês sabem a origem dessa iguaria? Pois aí vai: Em sua versão original, no final do século XVIII, a receita do Bolinho era feita com mandioca ou cará. O trigo era pouco, caro, vinha de Portugal, e raras eram as receitas com a “Farinha do Reino”. Em compensação, o Bolinho era feito com muitos ovos, açúcar, leite, frito em gordura de porco e levava muito da intimidade revelada em nomes carinhosos como Quero Mais, Quero Quero, Desmamados. Nunca teve a pretensão de ser doce de Sinhá, nem ter a delicadeza dos complicados pontos de caldas, das massas moldadas durante horas por mãos finas e delicadas. Sua vocação sempre foi o sabor e o encanto dos olhos das crianças, que ansiavam pela hora em que eles saíam dos tachos dos fogões de lenha, quando eram generosamente polvilhados com açúcar e canela perfumada. Descontraídos, afetivos, leves, por muito tempo foram a comida do entrudo (o carnaval de então!). Eram chamados de Filós de Carnaval, assim, com sotaque português. Levavam o sabor de mãos escravas e, talvez por isso, alguma sinhazinha ciumenta tenha lhes apelidado de Bolinhos de Negra. Muitas escravas saíram do anonimato para ligar seus nomes a essa receita, homenagem que atravessou os séculos: ainda se encontram cadernos de receitas onde ele é chamado de Bolinhos da Negra Ambrósia ou da Negra Marcionila.

Porém a mais famosa entre as autoras do Bolinho foi, sem dúvida, criada por Monteiro Lobato: não há episódio entre as histórias do Sítio do Pica-Pau Amarelo que não termine com Narizinho, Emília e Pedrinho comendo os Bolinhos de Tia Nastácia. Quem não lembra da emocionante aventura do labirinto e do Minotauro que prova o bolinho e fica com os olhos brilhantes? Depois desse dia, tia Nastácia não parou mais de fazer os bolinhos que o monstro devorava sem pausa. “Pois é, foi o bolinho que me salvou”, suspira Tia Nastácia ao ser libertada do labirinto pela astúcia da Emília! E foi, numa tarde do século XX, que alguém lhe deu o nome de BOLINHO DE CHUVA, lembrando a alegria que trazia às crianças nas horas em que não podiam correr ou brincar nos quintais por causa do tempo chuvoso. E desde então o nome ficou definitivamente ligado à sua receita!!!

Faça chuva ou faça sol, o BOLINHO DE CHUVA é sempre bem-vindo na mesa do café ou chá da tarde!

Por isso separamos algumas receitas “incrementadas” para vocês ficarem ai… BA-BAN-DO!!!

😛

Bolinho de chuva diferente

 Estão com água na boca?

Então anotem a receita e corram para fazer porque é super fácil!!!

Ingredientes para a massa:

– 2 colheres de sopa (cheia) de margarina
– 3/4 de xícara de açúcar
– 2 ovos
– 350ml de leite
– 2 ¹/2 xícaras de farinha de trigo com fermento
– 1/2 colher de chá de sal

Escolha o recheio/cobertura:

Doce de Leite; Goiabada, Banana, Brigadeiro, para Fondue ou o tradicional Açúcar e Canela!

Modo de Preparo:

Misture todos os ingredientes até ficar uma massa não muito mole, nem tão dura. Deixe aquecer uma panela com bastante óleo para que os bolinhos possam boiar. Quando estiver bem quente comece a colocar colheradas pequenas da massa e abaixe o fogo para que o bolinho não fique crú por dentro. Coloque os bolinhos sobre papel absorvente e depois passe-os no açúcar com canela. Com ajuda de uma faca abra os bolinhos e recheie com o seu doce preferido!

receita bolinho de chuvacomo fritar bolinho de chuva

Vejam as ideias de recheios que separamos para vocês se inspirarem…

DOCE DE LEITE

bolinho de chuva recheadobolinho de chuva com doce de leiteblog palpite de luxobolinho de chuva

 GOIABADA

lanche da tardedicas de bolinho de chuvadicas com goiabada

BANANA

bolinho de chuva com banana

 BRIGADEIRO

bolinho de chuva com brigadeirobolinho de chuva com brigadeiro

FONDUE

dicas de fondue

AÇÚCAR E CANELA

lanche da tarde infantilbolinho de chuva com cafe

Olha que chique e deliciosa essa sobremesa…

sobremesa fácil de fazer

Uauuuuu…não é de arrasar com o nosso regime? Hahahahaha…amamooosss!!!

O que acharam do palpiteco gastronômico? Curtiram?

😉

Bjokas,

Carmen e Raquel



Comentários (5)

  1. lea bessa disse:

    Deliciosa receita…..muito bom lembrar da minha avó. Os bolinhos dela eram maravilhosos.

  2. janete disse:

    amei,delicia amo doce e essas receitas ficaram otimas .

  3. Quitéria Oliveira disse:

    Bom dia!
    Muito bom a receita de BOLINHO DE CHUVA, eu queria mesmo essa receita, já ouvi falar que quem nunca comeu o bolinho de chuva da vovó não teve infancia, eu não tinha avó muito menos bolinho de chuva rsrsrs, más vou ensina minha mãe e não vou deixa meus filhos sem uma boooooa infancia…. eles vão ter o maximo de mim.
    Obrigado!

  4. rafaela disse:

    amei, é tudo de bom a casa com aroma de bolinho de chuva, gosto de colocar raspas de limão ou laranja na massa pra variar o sabor e aroma fica muito com serve também para panquecas : ).

  5. rafaela disse:

    Olá ,olha minha mãe fazia uma massa doce com um pouco de queijo parmesão acho que ia ficar muito bom com essa dica da goiabada : )
    tinha uns salgados com linguiça e cebola que eu adorava mais não me lembro da receita toda
    mais o que mais gostava era uma que ela não fritava a massa colocava a massa em uma panela de calda por pouco tempo, eu achava incrível aquelas bolinhas encharcadas de calda por fora e fofinhas,clarinhas,sequinhas por dentro ela sempre servia em uma taça
    eu tentei fazer uma vez não deu muito certo,ainda vou tentar resgatar essa ultima que minha mãe Maria fazia com carinho


Deixe um comentário

Campos com (*) são de caráter obrigatórios


Voltar ao topo